Persona, ICP e Público-alvo: qual é a diferença?

Persona, ICP e Público-alvo

Conhecer a diferença entre persona, ICP e público-alvo é importante para ter um negócio bem-sucedido, pois ajudam a definir o cliente da sua empresa

É muito comum não entender a diferença entre persona, ICP e público-alvo. Contudo, saber traçar cada perfil é fundamental para uma boa estratégia de marketing e saber quando utilizar.

Embora a confusão aconteça, há muita diferença entre os três, mesmo que todos tenham foco no consumidor da marca. Neste artigo separamos as particularidades de cada um deles para você saber como aplicar e usar a diferença entre persona, ICP e público-alvo para potencializar as vendas do seu negócio. Acompanhe.

Por que se preocupar com persona, ICP e público-alvo?

A diferença entre persona, ICP e público-alvo surge primeiramente da necessidade de entender para quem você quer vender. Além disso, inclui para quem se pode vender, pois isso também é importante em uma empresa. Quanto mais bem definido cada um deles, mais eficiente a estratégia.

Há diferentes formas de definir esses públicos, mas não enxergue eles de forma separada. Apesar das diferenças, um depende do outro. Em primeiro lugar, deve-se definir o público-alvo para então seguir com o ICP e a persona. Sem isso, o restante não será bem detalhado.

Independente do seu tipo de estratégia, seja ela de inbound ou outbound marketing, a diferença entre persona ICP e público-alvo também importa. Antes de começar a vender ou negociar, saiba para quem isso será feito.

Diferença entre persona, ICP e público-alvo

Para entender a diferença entre persona, ICP e público-alvo, é necessário saber como cada um surge. A seguir, você entende melhor o que eles significam!

Público-alvo

O público-alvo pode ser definido como o potencial consumidor da sua empresa e por isso, deve ser o primeiro conceito abordado. Sua classificação é feita levando em consideração dados demográficos e socioeconômicos de pessoas que poderiam comprar os produtos ou serviços que a sua empresa oferece, tais como:

  • Gênero;
  • Localização;
  • Escolaridade;
  • Classe social;
  • Profissão;
  • Idade.

O público-alvo é conhecido como “target”. Apesar de ser mais genérico, é a origem para detalhar todo o restante do cliente que você precisa focar nas suas estratégias. É o primeiro “desenho” para quem você pretende atingir e será o seu lead principal.

Há várias formas de fazer essa pesquisa de público-alvo. Podem ser feitas pesquisas com questionários on-line ou através de dados do mercado e empresas concorrentes. Isso dependerá do que você pode investir.

ICP

Como já citamos, há mesmo diferença entre persona, ICP e público-alvo. O ICP, por exemplo, é a sigla utilizada para definir “Ideal Customer Profile”, ou seja, o perfil de cliente ideal da sua empresa. Ele é um pouco mais específico do que o público-alvo e para defini-lo, deve-se considerar as informações anteriormente citadas, mas com alguns adicionais, como por exemplo:

  • Engajamento com a marca;
  • Ticket médio: média do valor gasto em compras em um determinado período;
  • Renda mensal.

Tomemos como exemplo uma marca de roupas femininas de São Paulo conceituada no mercado em que atua e que tenha um portfólio de produtos voltado a mulheres na faixa dos 30 anos de idade. Nesse caso, especificamente, o ICP ideal da marca poderia ser definido como:

Mulher solteira, faixa entre 30 e 40 anos, nível superior, residente em São Paulo, com renda mensal superior a R$ 5 mil reais e com ticket médio de compras junto à marca de R$ 1.000.

Conforme você pode perceber, a partir desse perfil ideal é possível resumir as principais características de quem já se identifica com a empresa. O ICP é muito utilizado tanto em empresas B2C quanto B2B e possibilita oferecer o produto certo para a pessoa certa.

Persona

Por fim, temos a persona, conceito que nasceu do ICP e do público-alvo. De forma geral, trata-se de um perfil fictício, com características e comportamentos individuais de um potencial cliente.

Enquanto no público-alvo você irá definir a região onde atua sua empresa, na persona precisa traçar exatamente qual a cidade e até mesmo o bairro. Algumas características são fundamentais para criar essa “pessoa”:

  • Nome;
  • idade;
  • Profissão;
  • Objetivos de vida;
  • Atividades de lazer;
  • Marcas que consome;
  • Estilo de vida;
  • Jornada de compra;
  • Desafios e “dores”.

Todos os dados acima ajudam a compreender os desafios do cliente, bem como as soluções que você pode oferecer para solucioná-los. Ao analisarmos a diferença entre persona, ICP e público-alvo, por exemplo, fica evidente que no caso da persona, até mesmo o tipo de assunto que consome no dia a dia pode ser um diferencial.

Confira a seguir a configuração de uma persona para uma loja virtual de produtos naturais:

Laura, auxiliar administrativo, 24 anos, vegana, residente em São Bernardo do Campo – São Paulo, gosta de cultivar hortas no jardim no tempo livre, cuida da pele com produtos 100% naturais e orgânicos e está em busca de um demaquilante vegano para retirar a maquiagem sem comprometer a pele e o meio-ambiente.

Você utiliza a persona quando quer aumentar a assertividade das ações, focando em um tipo de consumidor que pretende atingir. Assim, poderá direcionar as ações para um cliente específico com mais chances de ele se aproximar da marca.

Use a diferença entre persona, ICP e público-alvo a favor dos seus negócios!

Conhecer a diferença entre persona, ICP e público-alvo é fundamental para usar os seus dados da melhor forma. Antes de enviar um e-mail, pergunte-se: o que a sua persona gosta de ler e comprar? Como se comunicar com ela? Qual produto ela mais gosta na sua empresa? Onde ela mora?

Parecem dados “soltos”, mas todos eles se conectam. De acordo com o seu objetivo nas estratégias, poderá ter inclusive mais de uma persona, por exemplo. O importante é saber usar esses três perfis de consumidores a favor dos seus negócios. Conte com a Agência Animame e tenha alta performance em suas estratégias de marketing digital por meio de conteúdos de qualidade, vídeos e muita tecnologia. Solicite uma proposta.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email